Senna


Senna 2010


Direção: Asif Kapadia
Com: Ayrton Senna, Alain Prost, Frank Williams, Ron Dennis, Viviane Senna, Milton da Silva, Neide Senna, Jackie Stewart, Sid Watkins, Galvão Bueno, Reginaldo Leme, Gerhard Berger, Nelson Piquet, Nigel Mansell, Jean-Marie Balestre, Bussunda
Ano: 2010
País: Reino Unido, França, Brasil, EUA
Gênero: Documentário, Biografia
Nota IMDB



Sinopse do filme Senna:


Documentário sobre Ayrton Senna, piloto de Fórmula 1 tricampeão mundial.
Com depoimentos inéditos e relatos sobre sua rivalidade com Alain Prost, o documentário mostra a trajetória do ídolo brasileiro morto aos 34 anos.


Assistir trailer do filme Senna legendado em português pt br:




Resenha do filme / análise crítica do filme Senna e seus usos em Cinema Terapia:


Uma tremenda e feliz surpresa para quem esperava um documentário organizando fatos com o intuito de enaltecer a trajetória de uma lenda do esporte... É isso também, mas é muito mais!


Não trata somente da carreira de um homem: a profissão era sua vida, sua ferramenta de trabalho virou parte de seu corpo. Não é coincidência que a falência de seu instrumento também foi o fim de sua vida.


O filme exibe cenas narradas por locutores esportivos, familiares, comentaristas, seu grande rival Alain Prost e principalmente o próprio Ayrton, cuja crença em Deus fazia com que pilotasse como se já nem fosse mais ele próprio quem estivesse no comando.


Sua obstinação, talento e fé o transformaram num profissional ao mesmo tempo extremamente técnico e místico.


A mensagem que mais me marcou no filme foi a de como seu grande rival o impulsionou a feitos incríveis. E esse mesmo rival, quase um inimigo, se revela em outros momentos ídolo, fã, e no desfecho alguém que realmente se preocupava com a pessoa por trás do piloto.


Mas para Ayrton talvez não existisse nada além do piloto, e pilotava como se competisse com a imortalidade.


Graças a sua relação com os fãs e generosidade com causas sociais, a impressão que temos é que quando exibia a bandeira do Brasil (enquanto muitos teriam preferido esconder o fato de ser brasileiro) era como se aquela vitória fosse a vitória de um povo contra injustiças que dominavam (e ainda dominam) o país.


Uma história digna de Hollywood (com todos os elementos como intriga, suspense, revelações e heroísmo), contada somente com fatos reais.


Realizado com ritmo, emoção e a elegância típica dos ingleses, não passa nem perto de pieguice ou apelos óbvios e sentimentalóides.


O único desconforto é a sensação tão real de estar vivendo toda a trajetória dele no presente: é impossível não nos lembrarmos onde estávamos e o que fazíamos quando chegou a notícia. Impossível não nos lembrarmos de como nos sentimos naquele 1º de maio de 1994.