Fanny e Alexander (Fanny och Alexander)


Fanny e Alexander (Fanny och Alexander) 1982


Direção: Ingmar Bergman
Elenco: Gunn Walgren, Ewa Froeling, Jarl Kulle, Erland Josephson, Allan Edwall, Boerje Ahlstedt, Mona Malm, Gunnar Björnstrand, Jan Malmsjoe, Mats Gergman, Bertil Guve
Ano: 1982
País: Itália
Gênero: Drama
Nota IMDB



Sinopse do filme Fanny e Alexander (Fanny och Alexander):


Após a morte de Oscar Ekdahl, a viúva Emilie encontra conforto nas palavras do bispo Edvard, enquanto Fanny e Alexander (que começa a ver o fantasma do falecido) ainda tentam lidar com a morte do pai.


Quando o bispo pede Emilie em casamento, Fanny e Alexander são obrigados a deixar a acolhedora casa da matriarca dos Ekdahls (onde sempre foram muito felizes) e se mudam para o sombrio castelo do padrasto.


Extremamente rígido, Edvard pune com severidade qualquer deslize de seus enteados, mas demora para que Emilie se dê conta de que são praticamente prisioneiros do religioso. Emilie então planeja uma forma de fugir e levar seus filhos de volta para a casa da amorosa avó paterna.


Assistir trailer do filme Fanny e Alexander (Fanny och Alexander) legendado em português pt br:




Resenha do filme / análise crítica do filme Fanny e Alexander (Fanny och Alexander) e seus usos em Cinema Terapia:


Um início do filme aconchegante: Aí vem a minha família, diz Helena, a matriarca dos Ekdahls, após ver pela janela seus parentes ruidosos e felizes chegando para as comemorações de Natal. Ok, os detalhes são importantes: a visão da colorida casa dos Ekdahls, a fartura, seu comportamento caloroso e espontâneo é o contraponto quando, mais adiante, somos apresentados à rígida família do bispo, que vive em uma casa nada acolhedora, sem cores, sem vida. Ainda assim, na minha opinião, o natal poderia ter durado menos tempo pra que o filme não ficasse tão longo (ao todo são 3 horas).


Fanny e Alexander são irmãos, filhos de Oscar e Emilie Ekdahl, respectivamente diretor e a atriz principal da companhia de teatro onde os Ekdahl atuam.


Após a morte de Oscar, Emilie casa-se com um bispo que a principio se mostra sedutor, mas posteriormente deixa transparecer toda sua austeridade. Ele exige que Emilie deixe pra trás todos os seus pertences e suas crenças antes de se mudar para seu palácio, onde moram também sua severa mãe e sua irmã doente. Aos poucos Alexander, Fanny e a própria Emilie se dão conta que estão em uma prisão sombria. O bispo pune o menor deslize ou desobediência de seus enteados com frieza.


A empregada do bispo (Justina) conta a Fanny e Alexander que a ex-mulher e filhas do bispo morreram afogadas no rio gelado que cerca a casa e que após esse episódio coisas fantasmagóricas tem acontecido. Alexander responde que ele próprio já tinha visto o fantasma das 3 pela casa, e mais: o fantasma da primeira mulher disse a Alexander que após ficarem trancadas 5 dias sem comida elas tentaram fugir pela janela, caindo no redemoinho e morrendo por conta disso. No dia seguinte Justina vai ao bispo e diz que Alexander inventou uma mentira sobre a morte da primeira esposa e filhas. Quando o bispo vai tirar satisfações com Alexander, Alexander se recusa a admitir que mentiu (Bispo para Alexander: "Tem um defeito de caráter. Confunde mentira e verdade") e com isso ganha uma surra.


Esse ponto merece um parênteses. Esse é um dos diversos indícios de que o trauma da morte do pai pode, talvez, ter sido o gatilho para Alexander desenvolver um quadro de psicose. Logo no início vemos um Alexander com uma imaginação muito fértil (Cena que Alexander - quando seu pai ainda era vivo - conta uma história para as outras crianças de uma menina que mora numa casa vazia assustada pelo fantasma da mãe e com o pai "em má companhia"; Cena que o diretor da escola diz à mãe que Alexander inventa "histórias incríveis" aos colegas como por exemplo que foi vendido ao pessoal do circo e que recebe lições de trapézio de uma cigana).
Ok se fosse um fato isolado já que ele vem de uma linhagem de artistas e mágicos, mas Alexander começa a ver o fantasma do falecido pai.
Cada um com suas crenças, mas acho que muitos casos de esquizofrenia poderiam ser diagnosticados mais cedo se os familiares levassem o parente em surto psicótico prioritariamente a um psicólogo e deixassem a igreja fora disso, ou no mínimo como segunda opção. Mas enfim, vamos prosseguir, sem descartar a possibilidade da própria conversa com Justina tenha sido fruto da imaginação de Alexander.


Enquanto isso, Emilie planeja uma forma de escapar e retornar à casa da ex-sogra (Helena Ekdahl). Com a ajuda do tio Isak, Fanny e Alexander são resgatados e levados para o antiquário onde aparentemente Ismael (sobrinho de Isak) é mantido trancado em um quarto para proteção de todos.


Fanny e Alexander vão dormir. Alexander acorda (ou seria um delírio?) no meio da madrugada, e se perde ao procurar por um banheiro. Aaron (que cuida de Ismael) lhe apresenta uma múmia que respira e parece ter alguma força sobre os movimentos da irmã do bispo. Alexander entra no quarto de Ismael, que pede para Alexander escrever seu próprio nome no papel, e eis que o nome que surge é de Ismael, dando a entender que ambos são a mesma pessoa. Ismael lê os pensamentos de Alexander, parece personificar sua sombra, a cristalização de seus desejos de vingança. Enquanto ambos "narram" uma cena de assassinato do bispo, essa cena parece se "materializar" culminando na morte do bispo.


Agora a salvo, Alexander passa a ver o fantasma do bispo pela casa da avó.


O desfecho dúbio deixa margem para interpretações: quanto da história contada é realidade, quanto é fantasia de Alexander? Será que os poderes "sobrenaturais" foram uma forma que Alexander encontrou para lidar com suas perdas e frustrações?