Hannah e suas irmãs (Hannah and her sisters)


Hannah e suas irmãs (Hannah and her sisters) 1986


Direção: Woody Allen
Elenco: Woody Allen, Mia Farrow, Dianne Wiest, Michael Caine, Barbara Hershey, Carrie Fisher, Maureen O'Sullivan, Lloyd Nolan, Max von Sydow, Lewis Black, Julia Louis-Dreyfus, Christian Clemenson, Julie Kavner, J.T. Walsh, John Turturro
Ano: 1986
País: EUA
Gênero: Comédia, Drama
Nota IMDB



Sinopse do filme Hannah e suas irmãs (Hannah and her sisters):


Carinhosa, dedicada e bem sucedida, Hannah é a fortaleza da família. Além de sua devoção ao marido e filhos, ela encontra tempo para administrar as brigas dos pais, oferecer suporte emocional ao ex-marido hipocondríaco e apoiar financeiramente suas duas irmãs, Holly e Lee.


Sua vida perfeita desperta rivalidade e inveja em seus familiares, e uma tentativa inconsciente de sabotagem serve para mostrar, tanto para Hannah quanto para suas irmãs, que sua postura impecável talvez seja somente uma máscara para ocultar sua fragilidade.


Assistir trailer do filme Hannah e suas irmãs (Hannah and her sisters) legendado em português pt br:




Resenha do filme / análise crítica do filme Hannah e suas irmãs (Hannah and her sisters) e seus usos em Cinema Terapia:


Todos os personagens gravitam ao redor de Hannah, uma mulher afetuosa, bem sucedida, generosa, que está ora conciliando as desavenças entre os pais, ora oferecendo conforto ao ex-marido, ora dando apoio financeiro às irmãs, sem pedir nunca nada em troca.


Mickey é o neurótico ex-marido de Hannah, um executivo de TV inseguro e hipocondríaco.


Durante suas "investigações médicas" fica apavorado diante da possibilidade de estar com uma doença terminal, o que o faz partir em busca de uma religião que o faça acreditar em Deus.


Holly, assim como Mickey, também é neurótica e insegura. Atriz fracassada, ex-viciada em cocaína, solteirona, inveja a autossuficiência da irmã Hannah, a quem enxerga como um "banco" com o qual sempre pode contar em suas novas e infinitas empreitadas, que sempre dão errado.


Lee é a irmã mais passional de Hannah. Ex-alcoólatra, ex-gorda, Lee é a única ponte de Frederick com a realidade (de quem depende economicamente), mas atualmente só consegue sentir um amor paternal.


Frederick é um artista que não gosta do convívio social, mas se alegra em ser o mentor e lastro financeiro de Lee.


Elliot é um consultor financeiro casado com Hannah, que secretamente nutre uma paixão por Lee.


Norma (mãe de Hannah. Na vida real a atriz também é mãe de Mia Farrow) é dramática, alcoólatra, vive tentando seduzir os amigos do marido, talvez como forma de puni-lo por suas constantes infidelidades (isso partindo do pressuposto que foi o pai quem começou a ser infiel).


Evan, o pai de Hannah, é amargo e infiel.


A frase abaixo (dita por Hannah a respeito de seus pais) talvez indique o motivo pelo qual ela decidiu, desde muito cedo, a se tornar a espinha dorsal da família:
Adoravam a idéia de ter filhos, mas criá-los não tinha graça para eles.


Quem não conhece alguém de carne e osso que, diante de pais egocêntricos, fúteis e infantis, decide se tornar a fortaleza da família? Aliás, não só Hannah, mas todos os outros personagens são estereótipos facilmente encontrados no mundo real...


Os personagens satélites aparentam se sentir incompletos, em busca de um sentido para suas vidas.


Toda a dinâmica familiar muda após Elliot declarar seu amor por Lee: vivendo um caso secreto, Lee coloca em risco não só seu relacionamento com Frederick, mas também com sua própria irmã Hannah. Elliot então passa a tratar mal a esposa, ao mesmo tempo em que se martiriza com a culpa por estar traindo uma mulher tão boa. Durante uma discussão Lee se irrita com as acusações de Holly e defende Hannah (que nunca precisou de ninguém para defendê-la), mais por se sentir culpada por estar roubando seu marido do que por se preocupar com o bem estar emocional da irmã.


Elliot confidencia à Lee algumas intimidades de seu relacionamento com Hannah. Lee conta para Holly que usa essas informações como inspiração para escrever um livro. Hannah (sem saber do que o livro de Holly trata) financia o projeto da irmã, mas fica perplexa não só por ver que se trata de detalhes de sua vida que nunca contou às irmãs, mas principalmente porque nunca tinha se dado conta que sua imagem de mulher forte, estável e perfeita incomodava tanto assim.


Frederick descobre que Lee o está traindo. Contrariando sua máscara de homem ponderado e cínico, Frederick mostra o quanto é imaturo chantageando Lee para continuar com ele, seja pelo apelo financeiro ou por uma promessa de casamento.


Lee se interessa por um professor da faculdade e rompe seu caso com Elliot. Mickey desiste de procurar por "respostas", aceita seu ceticismo e decide dar uma segunda chance para o amor ao lado de Holly. Um ano depois, todos se encontram na casa de Hannah (que por sinal é a casa atual de Mia Farrow): Lee está casada com o professor, Elliot se "arrepende" (e ele lá tinha alternativa?) de ter tido um caso com Lee, Mickey e Holly estão casados e Hannah, finalmente, começa a mostrar mais suas fragilidades para que seus parentes se sintam também necessários: agora Hannah relaxa, abre mão do fardo de responsabilidades e permite que seus familiares sigam suas vidas sem sua batuta.