Sim, mas... (Oui, mais...)


filme sim mas


Direção: Yves Lavandier
Elenco: Émilie Dequenne, Gérard Jugnot, Cyrille Thouvenin, Alix de Konopka, Patrick Bonnel
Ano: 2001
País: França
Gênero: Comédia dramática, Drama
Nota IMDB



Sinopse do filme Sim, mas... (Oui, mais...):


Eglantine Laville sofre com as brigas constantes entre seu pai ausente e mulherengo e sua mãe chantagista e alcoólatra. Além disso, o namorado pressiona para transar com ela, que ainda é virgem.


Com ajuda de seu Analista Transacional, Eglantine começa a perceber que pode deixar de ser vítima dos acontecimentos e superar suas dificuldades, desde esteja disposta a assumir as rédeas de sua vida.


Assistir trailer do filme Sim, mas... (Oui, mais...) legendado em português pt br:




Resenha do filme / análise crítica do filme Sim, mas... (Oui, mais...) e seus usos em Cinema Terapia:


Recomendo esse filme para quem quer conhecer melhor a Análise Transacional. O filme é bem leve, poderia passar numa sessão da tarde tranquilamente!


A trama inicia com o terapeuta Erwann (Gérard Jugnot) apresentando conceitos básicos da AT para o espectador.


Antes que o público possa se entendiar com a parte mais "didática", surge em seu consultório Eglantine (Émilie Dequenne), uma garota que enfrenta dilemas comuns da adolescência: mãe depressiva e alcoólatra que a sufoca, pai que tenta suprir sua ausência "comprando" boas notas da filha, namorado "experiente" que a pressiona para perder a virgindade.


No principio a tendência de Eglantine é de culpar os outros pelas suas mazelas: chega a acreditar por ex. que quem precisa de terapia é a mãe e não ela própria. O terapeuta propõe uma terapia breve e logo nas primeiras sessões Eglantine começa a se dar conta dos jogos psicológicos que participa, qual seu possível script de vida se não modificar seus padrões de comportamento, e aprende com o competente Erwann como se libertar, conquistando assim sua autonomia.


Com linguagem simples (assim como é a própria AT), acessível e sem frescuras, fica fácil identificar onde nós mesmos podemos estar inseridos no triângulo dramático (Vítima, Salvador ou Perseguidor) e usar as ferramentas da AT em nossa vida cotidiana.


Cenas como a visita do namorado na lanchonete onde Eglantine trabalha e a atitude da mãe quando ouve Eglantine enfiar a chave na fechadura rendem boas risadas e nos lembram que, mais que um filme sobre terapia, Oui Mais é um filme que ensina a rir de nós mesmos.

 

filme sim mas - frase 1

filme sim mas - frase 2

 

TAGS: Adulto (AT), Adolescência, Alcoolismo, Amadurecimento, Amor, Análise transacional (AT), Auto confiança, Auto estima, Autocomiseração, Autoconhecimento, Autocontrole, Autogovernança, Autonomia, Casamento, Chantagem, Ciúme, Coaching, Conflitos amorosos, Conflitos familiares, Consciência, Criança (AT), Culpa, Decepção, Decisão, Depressão, Determinação, Dinâmica familiar, Dissimulação, Educação, Equilíbrio, Escapismo, Escolhas, Esperança, Falsidade, Família disfuncional, Felicidade, Figura paterna, Filhos, Caráter, Força de vontade, Ignorância, Indecisão, Indulgência, Ingenuidade, Jogos (AT), Juventude, Liberdade, Mãe dominadora, Mandatos (AT), Manipulação, Medo, Melancolia, Mentira, Mentoring, Mudança, Obstinação, Otimismo, Paciência, Pai (AT), Pai crítico (AT), Perseguidor (AT), Perseverança, Persistência, Primeiro amor, Problemas de relacionamento, Psicanálise, Psicologia, Psicólogo, Psicoterapia, Raiva, Relacionamentos, Respeito, Responsabilidade, Sabedoria, Salvador (AT), Sofrimento, Submissão, Suicídio, Superação, Superproteção, Terapia, Terapia breve, Tortura psicológica, Traição, Triângulo dramático (AT), Tristeza, Vida, Vítima (AT), Vitimização